Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Entenda a Palavra de Deus

Entenda a Palavra de Deus

Um resumo do Natal

David ao escrever o Salmo 8 demonstrava a sua perplexidade pelo fato do Senhor Deus, criador do Universo, majestoso e digno de toda a honra ter o homem, sua criação, frágil, vulnerável e pecador, como alvo do seu favor e aliança. O Senhor, por meio da sua aliança, graça, revelação geral, Escrita e através de todo o sistema religioso vigente na altura visitava e cuidava do seu povo. Mas eram apenas sombras, uma Nova Aliança, o cumprimento da revelação Escrita, acontece no momento em que Deus visita a Sua criação ao encarnar, visitando-nos ao fazer-se como um de nós, tomando conta dos seus ao dar-lhes uma justiça que nunca seriam capazes de alcançar, a de Jesus Cristo.

Fiquemos perplexos, contritos, gratos, emocionados, alegres, pelo facto do Deus Santo Santo Santo ter-se preocupado e nos ter visitado a fim de termos vida.

 

Joel Lopes

Salmos 8 3-4.png

 A todos, um feliz e santo Natal!

«E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.
E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.
E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:
Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.»
Lucas 2:10-14

Estais loucos!

Eis os tristes resultados de não se obedecer às determinações dadas à igreja de Cristo:
 
Ontem, na igreja onde congrego - Moreira da Maia - a culto decorreu com decência e ordem e o evangelho foi pregado de forma a que as pessoas que estavam ali pela primeira vez percebessem que o Caminho de um cristão não é pêra doce. Primeiro a má notícia: Somos pecadores, estamos perdidos, caminhamos para o inferno e, se a morte nos surpreender repentinamente sem nos arrependermos e crermos em Cristo como nosso único Senhor e Salvador, não há qualquer esperança «Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor,» (Atos 3:19).
 
Depois de crermos, de nos arrependermos e de entregarmos a nossa vida a Cristo, não há facilitismos na vida cristã. Não há sol, sombra e água fresca! Como disse Jesus: «Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.» (Lucas 9:23); «Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará.» (Marcos 8:35); «Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.» (João 16:33).
 
Finalmente, o pastor deu a notícia mais maravilhosa que alguém pode receber: «Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigénito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.» (João 3:16). A salvação é pela graça [favor imerecido de Deus]. Nenhum de nós a merece «Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), e nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para connosco em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.Não vem das obras, para que ninguém se glorie;» (Efésios 2:4-9), e frisou que não é levantar o braço e fazer uma oração que salva alguém, mas sim o novo nascimento que se evidencia numa vida transformada cujo alvo é viver para a glória de Deus.
 
No fim, já fora da igreja, falei com uma das senhoras que estava ali pela primeira vez. Ela contou-me que, há dez anos atrás, havia visitado uma igreja em Vila do Conde, que tinha gostado bastante, mas que depois levou lá o filho e que quando as pessoas começaram a gritar e a dizer coisas-que-ninguém-entendia o filho lhe disse que aquilo era mau e que era melhor ela não voltar lá... Fiquei triste!
 
- Porque é que se insiste em desobedecer ao que Paulo estabeleceu?
- Porque é que se continua a escandalizar os indoutos e os infiéis? 
- Porque é que insistem em se mostrar tão espirituais que acabam por servir de escândalo e tropeço a quem vem à igreja pela primeira vez?
 
 
«E agora, irmãos, se eu for ter convosco falando em línguas, que vos aproveitaria, se não vos falasse ou por meio da revelação, ou da ciência, ou da profecia, ou da doutrina?
Da mesma sorte, se as coisas inanimadas, que fazem som, seja flauta, seja cítara, não formarem sons distintos, como se conhecerá o que se toca com a flauta ou com a cítara?
Porque, se a trombeta der sonido incerto, quem se preparará para a batalha?
Assim também vós, se com a língua não pronunciardes palavras bem inteligíveis, como se entenderá o que se diz? porque estareis como que falando ao ar.
Há, por exemplo, tanta espécie de vozes no mundo, e nenhuma delas é sem significação.
Mas, se eu ignorar o sentido da voz, serei bárbaro para aquele a quem falo, e o que fala será bárbaro para mim.
Assim também vós, como desejais dons espirituais, procurai abundar neles, para edificação da igreja.
Por isso, o que fala em língua desconhecida, ore para que a possa interpretar.
Porque, se eu orar em língua desconhecida, o meu espírito ora bem, mas o meu entendimento fica sem fruto.
Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.
De outra maneira, se tu bendisseres com o espírito, como dirá o que ocupa o lugar de indouto, o Amém, sobre a tua acção de graças, visto que não sabe o que dizes?
Porque realmente tu dás bem as graças, mas o outro não é edificado.
Dou graças ao meu Deus, porque falo mais línguas do que vós todos.
Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida.
Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento.
Está escrito na lei: Por gente de outras línguas, e por outros lábios, falarei a este povo; e ainda assim me não ouvirão, diz o Senhor.
De sorte que as línguas são um sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis; e a profecia não é sinal para os infiéis, mas para os fiéis.
Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem em línguas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão porventura que estais loucos?» 1 Coríntios 14:6-23
 
 

falar-em-linguas.jpg

 

Maria Helena Costa

Êxodo 21:22-23 e o Aborto

O prezado irmão e irmã irá encontrar alguns pastores e outros cristãos que têm uma posição contra o aborto, mas recusam-se a considera-lo como homicídio. E, noutros casos, a considera-lo sequer um Crime. Pretendo responder a essas posições neste artigo referindo ELES como sendo os que adoptam esta posição aparentemente híbrida.

Pergunto em primeiro lugar isto: - Se não é crime…porque haveria de ser errado? Se não é errado…qual o problema?

O argumento utilizado por ELES será este: “Considerar o Aborto como sendo um homicídio é colocar sobre a mulher um peso que a Bíblia não coloca.”

Será? Será que a Bíblia não coloca esse peso? Se não coloca esse peso…então coloca que peso? E aqui eles dirão: “A única vez, que na Bíblia se menciona directamente o aborto é em Êxodo 21:22-23 que diz «Se alguns homens pelejarem, e um ferir uma mulher grávida, e for causa de que aborte, porém, não havendo outro dano, certamente será multado, conforme o que lhe impuser o marido da mulher, e julgarem os juízes. Mas se houver morte, então darás vida por vida.»”

Portanto, advogam ELES, onde o aborto é situado no âmbito do Dano e que será penalizado com multa, enquanto o verso 23 fala de morte, não se referindo ao aborto”. “Clareza no entendimento do texto Bíblico e humanidade para com as mulheres que abortam” … reclamam e reclamarão eles. Logo, deduzo eu, que tenho uma compreensão díspar da deles…não tenho clareza no entendimento do texto Bíblico e manifesto pouca humanidade para com as mulheres que abortam. Pretendo responder a ambas então.

Em primeiro lugar: Êxodo 21 descriminaliza o aborto electivo?
Vou cingir-me apenas ao uso do Texto de Êxodo em termos de citação, mas deixem-me desde já afirmar que não precisamos de um versículo directo a referir “Aborto é Homicídio” para dizer expressamente que o aborto electivo é crime. A Bíblia afirma que todos os seres humanos têm valor porque carregam a imagem de Deus. Os factos da ciência deixam claro que, desde os primeiros estágios do desenvolvimento, os nascituros são inquestionavelmente humanos. Portanto, os mandamentos bíblicos contra a tomada injusta da vida humana se aplicam ao nascituro como fazem a outros seres humanos.

Uma leitura como a que ELES fazem do texto de Êxodo, levanta-me uma questão: Não há então uma igualdade humana básica? Se os seres humanos têm valor apenas por causa de alguma propriedade adquirida como a auto-consciência, segue-se que uma vez que esta propriedade adquirida vem em graus variados, os direitos humanos básicos vêm em graus variados. E quando perderem essa propriedade? Perdem o direito igualitário a descriminalização de quem lhes tirar a vida? Teologicamente, é muito mais razoável argumentar que, embora os seres humanos difiram imensamente em seus respectivos graus de desenvolvimento, eles são, no entanto, iguais porque compartilham uma natureza humana comum feita à imagem de Deus.

Mas afinal, o que é que a passagem de Êxodo 21 realmente prova?
A passagem apresenta uma situação em que, "se dois homens estiverem a lutar e acidentalmente ferirem uma mulher grávida..." Aqui está a passagem em contexto, lida na Almeida Corrigida e Fiel:
«Se alguns homens pelejarem, e um ferir uma mulher grávida, e for causa de que aborte, porém não havendo outro dano, certamente será multado, conforme o que lhe impuser o marido da mulher, e julgarem os juízes. Mas se houver morte, então darás vida por vida,…”» Êxodo 21:22,23

Os defensores da descriminalização do aborto argumentam que a Bíblia prova que os não-nascidos não são totalmente humanos, porque a penalidade por matar acidentalmente um feto é menor do que para matar a mãe. Mas esse argumento é problemático por várias razões:

Primeiro, assumindo que a interpretação “pró-aborto” de que esta passagem é correta (isto é, que a morte do não-nascido é tratada de maneira diferente da da mãe), então presume-se que os não-nascidos não são totalmente humanos. Mas note-se o seguinte: os versos que precedem o 22 apresentam uma situação em que um mestre mata involuntariamente o seu escravo e escapa sem nenhuma penalidade (a falta de intenção é provada pelo intervalo entre o golpe e a morte), então, utilizando o raciocínio interpretativo acima mencionado terei de aplica-lo aqui também, ou seja: as Escrituras consideram o escravo menos do que humano. (versos 20 e 21)

Em segundo lugar, essa passagem nem sequer sugere remotamente que uma mulher pode matar intencionalmente o seu filho por este não ser ainda de facto. Nada no contexto suporta esta afirmação. Na melhor das hipóteses, o texto atribui uma pena menor por matar acidentalmente um feto do que por matar acidentalmente a sua mãe. Esta é a leitura correcta destas instruções. Simplesmente não segue que uma mulher pode deliberadamente abortar e por conseguinte não lhe ser atribuído o epíteto de infanticida.

Terceiro, a interpretação não-infanticida desta passagem é altamente suspeita. Quando lido no hebraico original, a passagem parece transmitir que tanto a mãe como a criança estão abrangidas pela “Lei da retribuição”. Encontrarão estudiosos que defenderão aberta e inequivocamente essa leitura vinculativa. Ou seja, a ideia é de que não há nenhum status de inferioridade atribuído ao feto sob esta regra. O feto é tão valioso quanto a mãe. Além disso, não devemos presumir que o aborto de Êxodo 21 produz um filho morto, assim como o aborto electivo.

Muitos especialistas no hebraico afirmam que a palavra hebraica para "aborto espontâneo" neste contexto é "yasa" - que muitas vezes se refere ao surgimento de uma coisa viva. Neste caso, a passagem pode ser razoavelmente traduzida "a criança sai" e se não for ferida, a pena é meramente uma multa. Mas se for prejudicado, a pena é vida por vida, dente por dente.

Portanto, a utilização desta passagem de Êxodo para retirar a carga criminal do aborto electivo, é muito pobre… ou até absurda.

Mas então o que se passa comigo? Sou eu “Desumano” com uma mãe que sofreu e sofre por ter tomado a decisão de praticar o aborto pelo facto de eu lhe chamar homicídio?

A primeira resposta que me vem à mente quando ouço esta acusação é: Sou eu “Desumano” o suficiente para permitir que uma criança assassinada não veja esse acto hediondo exposto como tal? Deverei eu mostrar mais “Humanidade” para com a mãe do que para com a criança?

E elaborar sobre este conceito de Humanidade e Desumanidade em questões morais já é “pano para mangas”, mas não é o tema deste artigo.

Bem sei que existe um contexto social, político e religioso que deve ser considerado no trato com uma mãe que acabou de fazer parte do “tirar a vida do seu filho”. Mas será o sofrimento e a ignorância de uma mãe motivo de clemência na denominação daquilo que foi feito? Não deverei apelida-lo de Homicídio para que o sofrimento da mãe seja amenizado? Ou pior, que no fundo é aquilo que é sugerido por ELES: modifico o código penal Divino para que este acto seja uma opção pessoal moral e não um crime?

Como afirma Scott Klusendorf, "Neutralidade é impossível". Pecado é pecado. Tirar a vida a uma criança por ESCOLHA é infanticídio. E a minha confiança e concordância com a Palavra de Deus Grita pelo direito à vida dessa criança. A transformação da minha mente procurando a cada dia ter a mente de Cristo me impele a dizer, com todo o amor que meu coração pode sentir pelas mulheres que praticaram Aborto: arrependam-se perante Deus. O arrependimento é o único caminho de volta para Deus. E ELE perdoa a qualquer que com sinceridade lhe pedir perdão. E Ele, Só Ele poderá sarar o coração dessas mulheres.

 

Pastor Tito Pereira
A Deus toda a Glória e toda a Honra

 

feto.jpg