Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Entenda a Palavra de Deus

Entenda a Palavra de Deus

Santos Invisíveis?

Há santos na terra!
Não, eles não são perfeitos, mas são "excelentes!" – Muitas pessoas têm escondido a realidade de serem apenas um eco da cultura individualista, do homem centrado em si mesmo, com uma falsa espiritualidade e zelo pelo evangelho, que justifica uma vida que não está em constante comunhão com o Corpo de Cristo numa igreja local.
O suposto "comprometimento" com o evangelho faz com que eles pareçam A IGREJA. Não simplesmente a igreja invisível, mas a de carne e osso, sangue, suor e lágrimas, gente de verdade.
O que é que o homem sobre o qual a Bíblia mais fala, depois de Cristo, chamado por Deus de "homem segundo o meu coração"via e sentia pelos santos? Não os invisíveis, mas os que se podiam tocar e abraçar? Ele diz:

"Quanto aos santos na terra, eles são os excelentes, nos quais está todo o meu prazer." (Salmo 16:3)
 
– Certamente a declaração de Davi não está ligada à perfeição deles, nem ele mesmo podia colocar-se assim. Sua grande declaração sobre si mesmo é:
 
"Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto." (Salmos 32:1)
 
– David conhecia essa grande misericórdia para os grandes pecados em sua vida. Não era a perfeição que fazia com qe ele tivesse todo o seu prazer no povo de Deus a ponto de os chamar "excelentes". Então o que era?
Quanto aos santos na terra, eles estão em Cristo. Isso é o que os distingue e é nisso que eles precisam ser distinguidos. Não os seus próprios talentos ou realizações, mas o que Deus tem feito neles. Deus criou-os (de novo – Regenerou-os) para além de si mesmos, para Ele. Isso muda tudo.
Eles são os excelentes. Há muito o que admirar em cada cristão. Basta começar a fazer perguntas. Cerca de trinta segundos de conversa, as excelências tornar-se-ão evidentes. Em vez de os avaliar, classificar e analisar, para ver se eles estão ao nosso nível, em vez de dizer: "Bem, eles não são perfeitos", o que é insultante, degradante e irrelevante, os olhos do evangelho, optam por observar as muitas excelências divinamente investidas n'outro cristão.
Nos quais está todo o meu prazer. Este passo final é pessoal, é emocional e é sincero. Não é simplesmente para entes, seres invisíveis. David é tão ousado que poderia ser interpretado por alguns como idólatra ("todo o meu prazer"). Mas o evangelho não permite a mínima idolatria...
 
 

1 comentário

Comentar post