Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Entenda a Palavra de Deus

Entenda a Palavra de Deus

Quem é que Limita Realmente a Expiação?

Portanto (à luz do que temos vindo a ler), torna-se evidente que não é o calvinismo que limita a expiação, mas sim aqueles que negam que a morte expiatória de Cristo realiza o que necessitamos desesperadamente _ ou seja, a salvação da condenação da morte, a dureza de coração e a cegueira, sob a ira de Deus.

Eles limitam o poder e a eficácia da expiação, para poderem dizer que ela foi realizada até em favor daqueles que morrem na incredulidade e são condenados. A fim de dizer que Cristo morreu da mesma maneira em favor de todos os homens, eles têm de limitar a expiação a uma possibilidade ou a uma oportunidade de salvação, se homens caídos puderem ressuscitar da sua morte e da sua rebelião para obter, pela sua própria fé, um meio eficaz não provido pela cruz.

Por outro lado, nós não limitamos o poder e a eficácia da salvação. Pelo contrário, afirmamos que, na cruz, Deus tinha em vista a redenção concreta e eficaz dos seus filhos de tudo o que os destruiria, inclusive a sua própria incredulidade. E afirmamos que, quando Cristo morreu especificamente pela sua noiva, Ele não criou simplesmente uma possibilidade ou uma oportunidade de salvação, mas comprou realmente e obteve infalivelmente para eles tudo o que é necessário para os tornar salvos, incluindo a graça da regeneração e o dom da fé.

Não negamos que Cristo morreu, em algum sentido, para salvar todos. Paulo disse, em 1 Timóteo 4:10, que em Cristo, Deus é o “Salvador de todos os homens, especialmente dos fiéis”. O que negamos é que a morte de Cristo foi no mesmo sentido em favor de todos os homens. Deus mandou Cristo para, em algum sentido, salvar todos. E enviou-O para salvar, num sentido mais específico, aqueles que crêem. A intenção de Deus é diferente para cada grupo.  Essa é uma maneira natural de entendermos 1 Timóteo 4:10.

 

Para “todos os homens”, a morte de Cristo é o fundamento para a oferta gratuita do evangelho. É este o significado de João 3:16: “Porque Deus  amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigénito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.

 

O enviar o Filho é para todo o mundo no sentido que Jesus deixou claro: para que todo o que nele crê não pereça. Nesse sentido, Deus enviou Jesus para todos. Ou, usando as palavras de 1 Timóteo 4:10: “Deus é o “Salvador de todos os homens” porque Cristo morreu para prover uma oferta de perdão totalmente confiável e válida, para que todo aquele que confiar em Cristo, sem excepção, seja salvo.

 

Quando o evangelho é pregado, Cristo é oferecido a todos, sem discriminação. A oferta é plenamente autêntica para todos. O que é oferecido é Cristo, e qualquer um _ qualquer _ que recebe a Cristo, recebe tudo o que Ele comprou para as suas ovelhas, para a sua noiva. O evangelho não oferece uma possibilidade de salvação. Ele é a possibilidade da salvação. Mas, o que é oferecido é Cristo, e n’Ele, a infinita realização que Ele consumou em favor do seu povo, por meio da sua morte e ressurreição.

 

Do livro: 5 Pontos

John Piper

Próximo post: O Papel Crucial da Nova Aliança