Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Entenda a Palavra de Deus

Entenda a Palavra de Deus

Perseverança dos Santos

De tudo o que temos compartilhado acerca das doutrinas da graça, concluímos que o povo de Deus perseverará até ao fim e não se perderá.

 Os conhecidos de antemão são predestinados; os predestinados são chamados; os chamados são justificados; e os justificados são glorificados (Romanos 8:30). Ninguém deste grupo se perde. Pertencer a este povo significa estar eternamente seguro.

No entanto, queremos dizer mais do que isso quando falamos da doutrina da perseverança dos santos. Queremos dizer que os santos têm de perseverar e perseverarão na fé e na obediência que procede da fé. A eleição é incondicional, mas a glorificação não o é. Nas Escrituras, há muitas advertências de que aqueles que não se apegam a Cristo podem perder-se no final.

As oito teses seguintes, são o resumo desta doutrina crucial.

 

  1. A nossa fé prevalecerá até ao fim se realmente somos salvos.

Isto significa que o evangelho é o instrumento de Deus na perseveração da fé, bem como o instrumento que gera a fé. Não agimos com um tipo de indiferença arrogante para com a chamada à perseverança apenas porque uma pessoa professou a fé em Cristo, como se pudéssemos, baseados na nossa perspectiva, ter a certeza de que agora ela está além do alcance do Maligno. Há um combate da fé a ser realizado. Os eleitos realizarão esse combate. E, por meio da graça soberana de Deus, eles vencerão. Temos de permanecer na fé até ao fim, se é que somos salvos.

 

Em 1 Coríntios 12:1-2, Paulo mostra a necessidade de perseverança: “Irmãos, venho lembrar-vos o evangelho que vos anunciei, o qual recebestes e no qual ainda perseverais; por ele também sois salvos, se retiverdes a palavra como vo-la preguei, a menos que tenhais crido em vão”, Este “se retiverdes” mostra que há um falso começo na vida cristã. Jesus contou a parábola dos solos para advertir contra esses tipos de falso começo:

 

"E o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera; mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta." Mateus 13:22,23

 

Em outras palavras, como  Paulo diz em 1 Coríntios 15:2, há um “crer em vão” _ que significa um falso crer, um vir a Cristo por razões que não incluem amor por Sua glória e ódio ao pecado. Paulo diz: a evidência da genuidade da nossa fé é o facto de que retemos a Palavra _ de que perseveramos. De modo semelhante, Paulo diz em Colossenses 1:21-23:

 

"A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou no corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis,
Se, na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé, e não vos moverdes da esperança do evangelho que tendes ouvido, o qual foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, estou feito ministro."

 

E, outra vez, em Timóteo 2:11-12: “Fiel é esta palavra: Se já morremos com ele, também viveremos com ele; se perseverarmos, também com ele reinaremos”.

Nestas palavras, Paulo está a seguir o ensino de Jesus. Jesus disse: “Aquele, porém, que perseverar até ao fim, esse será salvo” (Marcos 13:13). E, depois da sua ressurreição, Jesus disse às sete igrejas de Apocalipse: “Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida” (Apocalipse 2:10, cf. 2:17; 25-26; 3:5, 1-12,21). Isto é o que pretendemos dizer quando falamos em necessidade de perseverança _ a afirmação de que temos de perseverar.

 

Do livro: 5 Pontos

John Piper

Continua: