Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Entenda a Palavra de Deus

Entenda a Palavra de Deus

O indivíduo beneficia da Palavra, espiritualmente falando, quando ele odeia o pecado com maior profundidade.

"Vós, que amais o SENHOR, detestai o mal: ele guarda  as almas dos seus santos, livra-os da mão dos ímpios" (Salmos 97:10). 

 

"Não podemos amar a Deus sem odiar aquilo que Ele odeia. Não somente  devemos evitar o mal, recusando-nos a continuar nele, mas também devemos  declarar guerra contra ele, voltando-nos contra ele com indignação no  íntimo" (C.H. Spurgeon).

Um dos testes mais seguros que se pode  aplicar à professada conversão é a atitude do coração para com o pecado.  Sempre que o princípio de santidade houver sido implantado,  necessariamente haverá repulsa por tudo quanto é profano. E se o nosso  repúdio ao mal for genuíno, então seremos gratos quando a Palavra  reprovar até mesmo o mal de que nem suspeitávamos. Essa foi também a  experiência de Davi:

 

"Pelos teus mandamentos alcancei entendimento; por isso odeio todo falso caminho." - Salmos 119:104

 

Observemos atentamente que não devemos meramente "abster-nos do pecado",  pois "detesto"; e não somente a "alguns" ou a "muitos" pecados, mas  antes, a "todo caminho de falsidade", e não apenas a "todo o mal" mas a  "todo o caminho de falsidade". E continua o salmista:

 

"Por isso estimo todos os teus preceitos acerca de tudo, como retos, e odeio toda falsa vereda." - Salmos 119:128

 

 

No entanto, dá-se exatamente o  contrário no caso do ímpio:

 

"Mas ao ímpio diz Deus: Que fazes tu em recitar os meus estatutos, e em tomar a minha aliança na tua boca? Visto que odeias a correção, e lanças as minhas palavras para detrás de ti." - Salmos 50:16-17

E em Provérbios  lemos:

 

"O temor do Senhor é odiar o mal; a soberba e a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu odeio." - Provérbios 8:13 

 

Ora,  esse temor piedoso vem a nós através da leitura da Palavra, vejamos: 

"Tampouco para si multiplicará mulheres, para que o seu coração não se desvie; nem prata nem ouro multiplicará muito para si. Será também que, quando se assentar sobre o trono do seu reino, então escreverá para si num livro, um traslado desta lei, do original que está diante dos sacerdotes levitas." - Deuteronómio 17:18

Com razão, pois, é que alguém declarou:  "Enquanto não odiarmos ao pecado, não poderemos mortificá-lo, ninguém  clamará contra o pecado, como os judeus clamaram contra o Cristo:  "Crucifica-O! Crucifica-O!", enquanto realmente não abominar o pecado  como Ele foi abominado" (Edward Reyner, 1635).

 

A. W. Pink

Livro: Enriquecendo-se Com a Bíblia, Ed. Fiel, 1979.

No post seguinte veremos como: "O indivíduo se  beneficia espiritualmente quando a Palavra o leva a abandonar o pecado."