Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Entenda a Palavra de Deus

Entenda a Palavra de Deus

Como florescem as heresias - A Continuação da Revelação

Quando todos os cristãos criam que toda a Revelação se encerrava em Apocalipse, eis que surge o golpe final sobre qualquer controle relativo à sã doutrina.

Com o surgimento do Movimento da Fé, e graças a algumas pessoas (não todas) do Movimento Carismático, hoje temos milhões de pessoas que crêem que Deus fala directamente com os “profetas” dos nossos dias, tornando assim desnecessário o estudo bíblico sério e aprofundado.

Profetas com novas revelações de Deus entram nas nossas igrejas com mensagens cheias de grandiosas promessas, transbordantes de relevância.

Há alguns anos atrás, havia o que se chamava a bênção de Toronto, que reunia pessoas de todo o Canadá, Estados Unidos e

Inglaterra numa igreja perto do aeroporto de Toronto. Lá, havia pessoas que ladravam como cães, caíam embriagadas no espírito e eram tomadas por crises de riso incontroláveis.

Três autores carismáticos, que simpatizam com estas manifestações do Espírito, escreveram sobre as suas apreensões acerca do que estava a acontecer em Toronto. Um deles, Peter Fenwick, escreveu:

“O meu maior temor surge do facto de que a Bíblia já não ocupa o lugar que ocupava na comunidade evangélica. Na verdade, a controvérsia que cerca a Bênção de Toronto é importante na batalha pela Bíblia.” Ele acrescentou que isto [a bênção de Toronto] poderia nunca ter começado se não fosse a aceitação de práticas anti‐bílicas entre os “evangélicos”

Quando alguns estudantes sérios das Sagradas Escrituras mostraram que “ palavra da ciência”no Novo Testamento (1 Coríntios 12:8); “ palavra do conhecimento” na versão ARA [Almeida Revista e Actualizada]) não se referia à clarividência, ou seja, à habilidade do evangelista de predizer diversas doenças do povo numa reunião, a sua instrução caiu em ouvidos surdos.

Em geral, não importava o que os líderes diziam ou faziam, não importava se as suas práticas eram bizarras ou se a sua doutrina era nova e inconsistente. Os líderes respondiam a toda a crítica dizendo: “ Quem és tu para questionar o que Deus está a fazer?”

Quando as pessoas que se alimentavam das Escrituras perguntavam porque é que algumas coisas que ocorriam não podiam ser encontradas na Bíblia, os líderes respondiam com o versículo: “eis que [faço] uma coisa nova”(Isaías 43:19).

Pouco se importavam que, no contexto bíblico, esta “coisa nova” se referisse ao facto de Deus trazer os judeus do exílio, assentá‐los na terra e estabelecer o reino vindouro. No entanto, este versículo, arrancado do seu contexto, tem sido usado pelos falsos profetas para justificar praticamente tudo, por mais absurdo que seja. Até as Testemunhas de Jeová [russelistas] o usam quando nos querem levar a acreditar numa das suas doutrinas anti‐bílicas!

Visto que agora todas as manifestações do “espírito”podem ser descritas como “uma coisa nova” os cristãs encontram‐se sem defesas contra o erro.

Hoje, “novas revelações” são recebidas com as palavras do “profeta”: “O Espírito do Senhor disse‐me que …” e completam a frase com todo o tipo de palermices e heresias.

O ensino de que Jesus tomou sobre Si a natureza de Satanás, ou a ideia de que Ele renasceu no inferno; ou a heresia que afirma que somos tão divinos como Jesus _ e centenas de outras heresias como estas _ são absurdos “revelados” a um ou mais dos pretensos profetas. E… Pasme‐se! Milhões de pessoas crêem e seguem religiosamente esses gurus!

Ai e tal, quem é que ensina essas heresias: _ Benny Hinn, Joyce Meiyer, Kenneth Copeland, Kenneth Hagin e outros… É muito grave dizer o que Deus nunca disse!

Sim! Eu creio que Deus ainda fala connosco! É óbvio que sim, se com isso queremos dizer que Ele revela o pecado no nosso coração e ilumina a nossa mente em relação à obra de Cristo a nosso favor. Deus ainda pode conceder “actos especiais de providência” a fim de preparar o povo para o evangelho. Muçulmanos que se converteram ao cristianismo dizem‐nos que

tiveram sonhos ou visões de Jesus antes de ouvirem o evangelho. Há ocasiões em que Deus dirige os nossos pensamentos pela oração e meditação; ou podemos ter impressões que nos dão orientação. Entretanto, porque achamos difícil distinguir os nossos pensamentos dos de Deus, é muito melhor dizer: “acho que o Senhor está a mostrar‐me…”ou “ocorreu‐me que…” Isso é muito diferente de dizer que Deus dá novas profecias, clarividências e até novas doutrinas. Não ousemos pôr os nossos pensamentos subjectivos ao mesmo nível da Escritura.

Percorra os canais de televisão e encontrará muitos evangelistas que, na verdade, ensinam que quanto mais bizarro é, mais provável é que seja de Deus.

Encontrará promessas extravagantes de cura; sinais, maravilhas, crises de riso e relatos fantásticos de dentes de ouro. Também ouvirá histórias de dinheiro vindo quase literalmente do céu aos trambolhões para abençoar os que deram uma oferta que lhes custou. E, para tornar tudo isto mais confuso, no meio de todas estas trapalhadas, à vezes, a verdade bíblica proveitosa é proclamada.

Tenhamos presente e deixemos claro que, se queremos encontrar o Diabo, temos de começar a procurar atrás dos púlpitos; é na “igreja”e não no mundo que Satanás faz a sua obra mais enganosa. A verdade misturada com o erro é muitas vezes, mais mortal do que o próprio erro em si.

 

Baseado no livro: "Quem é você para Julgar?"

Erwin W. Lutzer

 

17901997_Accki.jpg